#RPGaDay 14, 15, 16 e 17

Esses quatro dias de RPGaDay correspondem aos quatro dias da GenCon, a maior convenção de RPG do mundo, e por isso os temas têm a ver com convenções. Eu só fui a uma convenção de RPG a minha vida inteira – a RPGCon de 2011.

#RPGaDay 14: melhor compra em convenção: então, na única convenção que eu fui, eu comprei minhas únicas miniaturas: um kit de miniaturas de Old Dragon (personagens icônicos). Eu não sou muito fã de usar grid e miniaturas em jogo, mas eu queria ter mais minis do OD, porque elas são lindas!

 

#RPGaDay 15: melhor jogo de convenção: nessa convenção, eu mestrei minha aventura para Old Dragon, A Fome Amarela (que pode ser encontrada aqui). O jogo durou a manhã e a tarde, e foi quase tudo que eu fiz na RPGCon. Mas compensou! O jogo foi ótimo, e eu ainda conheci uns caras muito legais.

 

#RPGaDay 16: jogo que eu mais desejava possuir: aqui caberia uma lista! Mas, por enquanto, vou me ater a um jogo que será lançado futuramente no Brasil via financiamento coletivo e que eu gostaria de poder adquirir (mas acho que não vou poder): Numenera. O jogo tem um conceito forte e interessante, um sistema simples e coeso, e o livro é lindo.

 

#RPGaDay 17: jogo mais divertido que eu já joguei: pra ser justo, vou dividir esse aqui em duas partes. A primeira vai para meu grupo antigo, e fica com nosso sistema próprio de Final Fantasy X/X-2. Foi a campanha mais longa que já joguei, e isso faz uma grande diferença. Já dos meus jogos mais recentes, aquele que rendeu maior diversão foi meu playtest de Gamma Dragon. Eu quero muito encontrar tempo e motivação para terminar esse jogo porque quando estiver pronto e ilustrado pela minha noiva (algumas ilustrações já estão prontas), vai ser demais!

Anúncios

#RPGaDay 11, 12 e 13

Mais uma vez, três dias de RPGaDay num único post!

#RPGaDay 11: o RPG mais estranho que eu conheço: o tema original era “o RPG mais estranho que eu tenho”, mas eu ganho salário de professor, então vocês podem imaginar que não tenho tantos jogos assim. E nenhum deles é tão estranho. Mas eu adoro vasculhar a internet atrás de todos os RPGs existentes, e alguns são bem estranhos. Destes, um dos mais estranhos, aquele que eu mais gostaria de ter e que mais me inspira é HOL – Human Occupied Landfill. O design, o texto, as ilustrações, a ambientação, a regras, tudo é absurdo, provocativo e muito divertido! Tem até um suplemento cujo título é um palavrão!

 

#RPGaDay 12: RPG velho que eu ainda jogo ou leio: meu RPG mais velho é a versão turbinada de 3D&T, e de vez em quando eu me vejo lendo ele e seus suplementos. É legal lembrar os velhos tempos e os jogos que nos divertiram.

 

#RPGaDay 13: morte de personagem mais memorável: como eu já disse, eu tive poucos personagens, e nenhum deles morreu de fato. Mas meu personagem favorito, Valmour Guado, era um personagem de Final Fantasy, jogo em que os personagens morrem e são ressuscitados o tempo todo (alguns preferem dizer que eles são nocauteados, mas eu acho minha interpretação mais interessante). E das muitas vezes que ele “morreu”, a mais memorável foi quando ele se jogou dentro de uma Ultima em formação, agarrado ao vilão da aventura, uma “reencarnação” de Seymour Guado. O mestre achou estranho eu fazer isso, mas eu disse “ei, depois é só usarem um Phoenix Down, certo?”. Jogadores e suas ações inesperadas…

#RPGaDay 7, 8 e 9

Desta vez trago três dias de RPGaDay num único post!

#RPGaDay 7: o RPG mais intelectual que eu possuo

O RPG mais intelectual que eu possuo é Busca Final! Pra quem quiser conhecer, o pdf está disponível aqui (liberado pelos próprios autores, é claro). Eu confesso que não gostei muito do sistema (achei um pouco confuso), mas a temática é muito interessante.

 

#RPGaDay 8: meu personagem favorito

Eu não tive muitos personagens, mas sem dúvida aquele com o qual eu mais joguei, e que mais me divertiu, foi Valmour Guado, um mago negro da raça guado de nosso sistema próprio no mundo de Final Fantasy X. Foi uma campanha de 18 meses, mestrada por um grande amigo, com histórias que serão lembradas por toda a vida. Uma das coisas mais divertidas que aconteceram comigo em RPG foi quando o mestre invocou a regra – criada por mim para outro jogo – “tire um 10 no d10 e você conseguirá”. Eu fiz uso desta regra três vezes na mesma sessão, e três vezes seguidas eu tirei um 10 e consegui o que queria. Foi uma comoção na mesa! O mestre me disse então que, se eu tirasse mais um 10, poderia fazer o que quisesse. Eu rolei de novo, e tirei um 4. Depois rolei de novo e tirei um 10, mas, é claro, não valeu. Bons tempos…

Nome: Valmour    Raça: Guado    Classe: Mago    Especialização: Mago Negro    Nível: 66    Fiends Mortos: 120

Atributos: STR 7, DEF 7, HP 10 (100), AGI 13, ACC 13, EVA 15, MAG 23+2, MDEF 17+1, MP 17 (170).

Habilidades (MP): thunder (5), thundara (10), thundaga (15), thundaja (50), fire (5), fira (10), firaga (15), blizzard (5), blizzara (10), blizzaga (15), water (5), watera (10), waterga (15), demi (50%), gravity (100%), holy (25), bio (15), drain (15), osmose (1), protect (5), dispel (5), focus, barrier, calm down, doublecast, triplecast, guardian, master black mage.

Habilidades Extras e Raciais: chemist, taming, knowledge: fiends, mp stroll, 1 mp cost, magic booster.

Desvantagens: slow vulnerability, sleep vulnerability.

Status Atuais: haste (AGI 26, EVA 30).

Arma: undead mog (voodoo; MAG +2, zombie strike, magic booster).

Armadura: thundaja mantle (manto; MDEF +1, lightning eater, auto-haste).

Acessórios: ragnarök (1 MP cost) cat nip (s.o.s. ???).

Overdrive: wizardry (fury 1d6+1 magias negras; megafury 1d10+1 magias negras; nova 1d10+1 magias negras potencializadas).

 

#RPGaDay 9: dado ou conjunto de dados favorito

Recentemente eu comprei um kit de dados da China, baratos e de boa qualidade. E veio um d30! Eu estou querendo criar um jogo que use dados de 30 lados só pra botar essa belezinha pra rolar!

O Lado Negro – mini-cenário e aventura para Fantasia Final

O Lado Negro é um mini-cenário para Fantasia Final, e inclui uma aventura e alguns personagens prontos. Ele foi escrito para a comemoração de 10 anos de meu grupo de jogo e é inspirado em diversos jogos da franquia Final Fantasy, especialmente FF VII, nos mitos de Chtulhu e no meu projeto Abismos & Aberrações.

O Lado Negro deve ser lido apenas por narradores. O narrador é quem irá decidir quais informações revelar aos jogadores.

Para fazer o download, clique aqui.

Máquinas – suplemento para Fantasia Final

Máquinas é o primeiro suplemento do RPG Fantasia Final, com regras opcionais para veículos – de motocicletas a aeronaves – e construtos – aliados construídos a partir de itens. Seu conteúdo será reproduzido nesse post, mas ele também pode ser baixado aqui.

Veículos

As regras de veículos visam simular todo tipo de veículo, de motocicletas a grandes aeronaves.

Veículos possuem pelo menos 1 nível nos atributos agilidade, vitalidade, armadura e tamanho e ao menos 1 nível em um dos seguintes atributos: velocidade no solo, velocidade na água, velocidade no gelo ou velocidade no ar. Além disso, todo veículo possui o atributo tesouro.

O custo em tesouro do veículo é igual ao seu nível total x100 (assim, um veículo com nível total 5, o mínimo possível, custa 500 pontos de tesouro).

Ações de Veículos

Veículos podem possuir os atributos ataque, ataque à distância, ataque + dano especializado, ataque + dano mágico e conhecer atributos. Além disso, devem possuir uma ação dentre velocidade no solo, velocidade na água, velocidade no gelo ou velocidade no ar.

Ataque: um veículo com ao menos 1 nível no atributo ataque possui um esporão ou outra parte que pode causar dano num impacto direto.

Ataque à Distância: um veículo com ao menos 1 nível no atributo ataque à distância possui uma arma de alcance como uma balestra, um canhão ou um arpão.

Ataque + Dano Especializado: um veículo com ao menos 1 nível no atributo ataque + dano especializado possui uma arma especializada em um tipo de inimigo.

Ataque + Dano Mágico: um veículo com ao menos 1 nível no atributo ataque + dano mágico possui uma arma mágica.

Conhecer Atributos:um veículo com ao menos 1 nível no atributo conhecer atributos possui um computador capaz de analisar outros veículos. Note que o nível do atributo tamanho pode ser conhecido por qualquer personagem.

  • 1 ponto: os níveis de agilidade e velocidade (no terreno em que estiver se deslocando no momento).
  • 2 pontos: os níveis de armadura e vitalidade e a quantidade atual de pontos de vitalidade.
  • 3 ou mais pontos: os níveis de outros dois atributos à escolha do jogador.

Velocidade no Solo/na Água/no Gelo/no Ar: representa a velocidade em um tipo de terreno. Cada nível determina uma velocidade máxima em km/h. Um veículo flutuante possui a mesma velocidade sobre solo, água e gelo, mas não possui velocidade no ar, uma vez que voa apenas a alguns centímetros da superfície.

Nível

Solo, Água ou Gelo Ar

1

30 km/h

90 km/h

2

60 km/h 180 km/h
3 90 km/h

270 km/h

4

120 km/h 360 km/h

5

150 km/h 450 km/h

6

180 km/h

540 km/h

7 210 km/h

630 km/h

8

240 km/h 720 km/h
9 270 km/h

810 km/h

10 300 km/h

900 km/h

O veículo precisa consumir uma quantidade de seu tesouro igual ao nível de velocidade (que pode ser reduzido a fim de consumir menos tesouro) para deslocar-se por uma hora no solo, na água ou no gelo, e uma quantidade de tesouro igual ao nível de velocidade x3 para deslocar-se por uma hora no ar.

Reações de Veículos

Agilidade: representa a manobrabilidade do veículo.

Vitalidade: representa a resistência da estrutura do veículo. Veículos não recuperam vitalidade com magias ou itens de cura mágica, mas com conserto (o conserto nada mais é do que o descanso durante o qual pelo menos um personagem se dedica ao conserto do veículo; quanto mais personagens consertarem a nave, mais rápido ela recuperará seus pontos de vitalidade, de acordo com o narrador).

Essência: representa a energia mágica armazenada pelo veículo. Veículos não recuperam essência com descanso, mas apenas com itens de cura de essência.

Armadura: representa a resistência da carroceria do veículo.

Resistência: representa uma maior proteção à magia.

Resistência à Água/Fogo/Gelo/Raio: representa uma maior proteção a determinados elementos.

Tamanho: representa a quantidade de pessoas que podem utilizar o veículo. Assim, um veículo de tamanho 1 é um veículo individual, enquanto que um veículo de tamanho 10 serve a um grupo de até 10 personagens. O atributo tamanho é o único que pode ultrapassar 10, não possuindo um limite.

Outros atributos de veículos

Tesouro: o tesouro de um veículo representa o seu combustível, a munição de suas armas e outros suprimentos necessários ao seu funcionamento. Veículos possuem um tesouro máximo igual ao nível de tamanho x30, e só possuem o tesouro que for dado por um personagem (mas isso só pode ser feito com o veículo parado e em um local em que haja algum meio de ele ser abastecido, por exemplo, em uma cidade, mas não no meio do deserto).

Construtos

O novo atributo de ação criar construto possibilita aos personagens construir criaturas.

Criar Construto (o nível de criar construto não pode ser maior que o nível de alquimia): permite que o personagem consuma tesouro para construir robôs e construtos mágicos. É preciso consumir 5 pontos de tesouro para cada nível do construto, exceto no caso dos atributos emulados por itens com um custo maior que 5 (por exemplo, para cada nível de agilidade ou fuga, devem ser gastos 5 pontos de tesouro; para cada nível de cura mágica e dano mágico, porém, devem ser gastos 10 pontos de tesouro). A construção também demora 20 minutos para cada nível do construto e só pode ser realizada fora de combate. O construto precisa necessariamente possuir os atributos ataque, agilidade e vitalidade (possuindo, portanto, um nível total mínimo 3), e não pode possuir os atributos item, alquimia, roubo, ataque + roubo, suborno, invocação, tesouro (não podendo ser roubado), experiência ou heroísmo. O nível total do construto não pode ser maior que o nível de criar construto x5. Durante um combate, pode participar um número máximo de construtos igual ao número de personagens dos jogadores. Construtos são imunes a magias de cura, morte, ressurreição, bônus, penalidade e impossibilidade (e a itens equivalentes, exceto itens de cura de essência). Assim como um veículo, um construto recupera vitalidade apenas quando consertado, e essência apenas através de itens. O construto é controlado pelo narrador, não podendo ser controlado pelo jogador que o criou e agindo independentemente deste, mas se comportará como um aliado e de acordo com os atributos que lhe foram dados para executar da melhor forma as ações para as quais foi criado.

Fantasia Final – os maiores RPGs eletrônicos de todos os tempos na sua mesa

Fantasia Final tenta trazer para o RPG de mesa a experiência dos videogames da maior franquia de RPGs eletrônicos de todos os tempos (precisa dizer qual?).

FF é um sistema simples e maleável, que tem por objetivo possibilitar a fácil adaptação de qualquer jogo da franquia, assim como a criação de novos cenários dentro dos moldes da série. À primeira vista, talvez o leitor não ache o sistema tão próximo dos jogos eletrônicos que ele conhece; porém, logo ele perceberá que as regras trazem todas as ferramentas necessárias para que sejam recriadas as classes, as habilidades, as magias, os itens, os monstros e todos os elementos famosos dos jogos.

As regras de FF tentam emular a experiência dos videogames focando no combate. Fora de combate, os desafios físicos dos personagens são realizados com simples rolagens de dados de seis faces, enquanto que desafios mentais e sociais ficam a cargo dos jogadores. Em combate, são usadas rolagens de dados de dez faces.

Fantasia Final pode ser baixado aqui. Leia e deixe suas impressões! Jogue e mande os resultados!

Em breve haverá suplementos e artigos para o sistema, e seria muito legal se houvesse adaptações não-oficiais de cada um dos jogos da série, não seria?