Tempo

Tempo é tudo que sempre tentaram te vender. Nós podemos!

Sem tempo?

Fez escolhas erradas em sua vida?

À beira da morte, sem amor, sem amigos, sozinho?

Nós temos a solução.

Para ganhar tempo, clique aqui.

(Caso tenha alguma dúvida, mande um email para tempo.contato.vita@gmail.com)

 

Mundo dos Sonhos – Game Chef 2015

Mundo dos Sonhos é meu jogo para o Game Chef 2015. Eu fiquei sabendo do concurso há apenas algumas horas, e não ia participar; mas eu tive uma ideia da qual gostei tanto que decidi realizá-la, apesar de que eu pude escrevê-lo apenas após voltar do trabalho, da uma às quatro da manhã. Mas o resultado me surpreendeu.

Clique aqui para acessar o .pdf de Mundo dos Sonhos.

 

O Caminho do Pistoleiro – pdf gratuito

Hoje é meu aniversário, e eu resolvi seguir a tradição dos hobbits e dar presentes aos meus convidados. Por isso, a partir de hoje, o pdf de O Caminho do Pistoleiro estará disponível para download gratuito na nossa página de downloads e na loja da Redbox e, além disso, com correções, adições e uma nova diagramação!

VITA Incorporated RPG

Trago neste post a nova versão de um antigo RPG meu, o VITA Incorporated RPG. Ele foi diagramado por ninguém menos que Igor Moreno, do estúdio Flying Ape, para a semana do editor do RPGenesis 2014. A diagramação e o novo logo ficaram ótimos, e com o acréscimo de ilustrações, o resultado final ficou maravilhoso!

Para quem não conhece o jogo, ele trata de um futuro em que criaturas geradas por engenharia genética evoluem e se voltam contra os seres humanos. O sistema é simples, e provavelmente será preciso criar house rules. Para baixar o .pdf, é só clicar aqui.

Matrix – RPG freeform

Eu sempre quis jogar e narrar no universo de Matrix, mas não conseguia encontrar um sistema que conseguisse capturar toda a liberdade presente na história. Até que eu decidi que a narrativa seria mais importante e, uma vez que os personagens podem fazer praticamente qualquer coisa e não possuem muitas diferenças entre si, atributos, perícias e outros valores não fariam sentido nenhum. Então eu cheguei ao seguinte sistema freeform:

Matrix RPG

Role 1d6 sempre que lutar contra a Matrix:

1: você é subjugado pela Matrix (você falha e fica à mercê da Matrix; pode até morrer).

2-5: você não é subjugado pela Matrix (você falha, mas não fica à mercê da Matrix; suficiente contra funções normais como policiais, mas não contra agentes).

6: você subjuga a Matrix (tem sucesso; suficiente contra funções extraordinárias da Matrix, como agentes; não é suficiente contra uma função bizarra como Smith rebelado).

Se for o Escolhido:

1: você não é subjugado pela Matrix (você falha, mas não fica à mercê da Matrix; suficiente contra funções normais como policiais, mas não contra agentes).

2-5: você subjuga a Matrix (tem sucesso; suficiente contra funções extraordinárias da Matrix, como agentes; não é suficiente contra uma função bizarra como Smith rebelado).

6: você rompe a Matrix e a realidade (tem sucesso extraordinário; pode fazer o que quiser).

O comportamento que se quer incentivar é a cinematografia em ações, descrições e falas. Sempre que o jogador fizer algo muito interessante ou dramático, dê um dado extra, que pode servir para re-rolar uma falha (começa com 10 dados extras).

 

Eu consegui jogar uma vez usando essas regras, e com a preparação de uma história interessante, consegui chegar a um ótimo resultado.

RPGenesis 2014 – Semana do Editor – Risus

Está terminando a Semana do Editor do RPGenesis 2014. Eu fiz minha contribuição e hoje trago a vocês minha versão de Risus: The Anything RPG.

Risus é meu sistema favorito, mas ele tem os seus problemas. O principal deles é a mecânica básica de pilhas de dados, que não funciona muito bem – quem está familiarizado com o sistema já ouviu falar sobre a grande diferença entre os valores dos clichés. Minha versão deste sistema parte da resolução deste problema principal e acaba tentando resolver também outros probleminhas.

Em Meu Risus, o valor do Conceito – que é como eu chamo o cliché – determina um par de dados rolados nos testes. Um Conceito de valor 1, por exemplo, equivale a 2d4; um Conceito de valor 2, a 1d4+1d6; e assim em diante. Desta forma, a diferença entre os valores não é tão grande e, ao mesmo tempo, o valor do Conceito apenas já determina que dados devem ser rolados (eu não queria fazer um sistema em que, por exemplo, o valor do Conceito determinasse um bônus a ser somado a um dado).

Também saíram do sistema as dificuldades fixas. Toda rolagem é um teste resistido entre dois ou mais Conceitos, e vence quem obtiver o maior resultado. Isso torna o trabalho do narrador mais interessante, a meu ver, uma vez que ele construirá o cenário e seus desafios usando conceitos como Montanha Escarpada (4), Rio Caudaloso (3), etc.

A mecânica de evolução também mudou, e agora sempre que o personagem falha em uma rolagem de evolução, ele recebe pontos que a tornam cada vez mais fácil. Assim, em algum momento o valor do Conceito acabará aumentando, a evolução não mais dependendo apenas da sorte nos dados.

A maioria das outras mecânicas não muda muito. Meu Risus ainda traz como opções para personagens equivalentes aos Hook, TaleLucky Shots, Questing Dice, Sidekicks and Shieldmates e Double-Pump Clichés. E eu até mesmo desenhei meus próprios Little Cartoon Bastards!

Para baixar Meu Risus, basta clicar aqui.