TL-N, o novo jogo da Tragos Games, já à venda! (pague o quanto quiser)

Nós últimos meses, estivemos publicando partes de nosso novo RPG, o Tractatus Ludico-Narrativus, ou apenas TL-N. Ele já está à venda, e você paga o quanto quiser! Clique aqui para adquirí-lo.

Mas o que é o TL-N? Trata-se de um sistema de RPG genérico, focado na narrativa, com regras simples – você poderá resolver todas as situações apenas rolando um par de dados multifacetados – e que permitem a criação de praticamente qualquer tipo de personagem e de história.

Além disso, o TL-N é um sistema altamente customizável, podendo servir como base para a construção de RPGs voltados a gêneros ou ambientações específicas. Por isso, ele é livre para ser reutilizado e alterado, conforme a licença Creative Commons BY-SA.

TL-N é resultado do encontro de dois projetos antigos meus. Um é a criação de um sistema narrativo, simples mas completo, equilibrado mas livre. Há anos venho estudando diversos sistemas e fazendo muitas tentativas. Para um dos sistemas que eu mais gosto, o Risus, eu cheguei a fazer uma versão própria (cuja principal alteração era a troca das pilhas de d6 por pares de dados multifacetados), e foi este jogo que serviu de base para o TL-N. Outros jogos que me inspiraram foram Blood & Honor e outros de John Wick, e diversos de John Harper.

O outro é a escrita de um livro sobre teoria do RPG. Eu queria escrever sobre meu conceito de jogo narrativo, e do tipo de jogo que se seguiria dele. Para o título, eu me inspirei no Tractatus Logico-Philosophicus, obra em que o filósofo Ludwig Wittgenstein apresenta, em 7 proposições fundamentais (e diversas subproposições), sua concepção acerca da estrutura lógica comum entre o mundo, o pensamento e a linguagem.

Apenas este ano eu tive a ideia de fazer do Tractatus Ludico-Narrativus um livro que tratasse ao mesmo tempo de teoria do RPG e de um sistema de RPG. O TL-N se estrutura da mesma forma que a obra de Wittgenstein, em 7 proposições, a saber:

Proposição 1: No jogo narrativo, a narrativa é o princípio e o fim, e o jogo é o meio.

Proposição 2: Os personagens são constituídos de conceitos.

Proposição 3: Os conceitos são constantemente postos à prova.

Proposição 4: Os conceitos eventualmente sofrem dano.

Proposição 5: Os conceitos podem ser submetidos a provas prolongadas.

Proposição 6: Os conceitos e personagens evoluem.

Proposição 7: O objetivo de um jogo narrativo é a diversão.

Em apenas 65 páginas, estas proposições tratam das regras de criação e evolução de personagens e resolução de conflitos.

Na nossa página de downloads você encontra a planilha de personagem do TL-N.

Fiquem atentos, logo teremos mais novidades sobre esse jogo!

Anúncios

Tractatus Ludico-Narrativus, Proposição 7

7. O objetivo de um jogo narrativo é a diversão.

7.1. O esforço de todos os participantes do jogo narrativo é necessário para que uma narrativa interessante e divertida seja criada. Os jogadores precisam estar comprometidos com a criação compartilhada de uma história, precisam dedicar-se na interpretação de seus personagens e na imersão na ambientação, e precisam confiar uns nos outros e no narrador.

7.2. Porém, exige-se do narrador um esforço maior, uma vez que ele detém o controle narrativo boa parte do tempo, e que atua também como árbitro do jogo.

7.2.1. No que diz respeito à criação da narrativa, o narrador é um guia, um jogador com mais conhecimentos, cujo principal objetivo é garantir que a narrativa permaneça avançando e que todos os personagens participem dela como protagonistas. O narrador precisa construir uma ambientação rica na qual os jogadores possam imergir, precisa interpretar seus personagens de forma a incentivar a interpretação por parte dos jogadores, precisa reagir às ações dos personagens dos jogadores e improvisar de modo que a narrativa seja dinâmica e surpreendente.

7.2.2. No que diz respeito às regras do jogo, o narrador é um árbitro, um jogador neutro, cujo principal objetivo é garantir que o jogo seja equilibrado e justo. Arbitrar acerca das ações possíveis dos conceitos e de suas inadequações é uma das atribuições mais importantes do juiz do jogo, bem como determinar o que ocorre em situações não previstas nas regras, e também alterar as regras ou criar regras novas, sempre buscando o equilíbrio, de forma que todos os personagens dos jogadores possam ter a mesma influência na narrativa.

7.2.2.1. No entanto, uma vez que o narrador precisa dar prioridade à narrativa, o mundo que ele constrói e os personagens que ele cria não precisam seguir as regras à risca. Ele pode esconder suas rolagens de dados, alterando-as ou mesmo ignorando-as quando preciso for para que a narrativa flua de forma divertida para todos. Deve ficar claro, porém, tanto para o narrador quanto para os jogadores, que o narrador não joga contra os jogadores, quebrando as regras apenas pelo bem da narrativa.