Apresentando – Tragoedia

Neste post falaremos um pouco sobre Tragoedia e sobre seu financiamento coletivo.

O Cenário

A Élada é o continente no qual vivem e se aventuram os Herois, e é todo o mundo conhecido para os eladanos, os seus habitantes. Há outros continentes neste mundo, habitados por outros povos, que há algum tempo encontraram a Élada e tentam ocupá-la – até o momento sem sucesso.

Segundo a crença dos eladanos, existem seis Deuses que constituem o mundo: Eár, a Terra; Sún, o Sol; Món, a Lua; Kôl, o Frio; Áter, a Água; e Túndra, o Trovão. Há também outros dois deuses, responsáveis pela criação, respectivamente, de Plantas e de Monstros – Lifa, a Vida, e Leto, a Morte (não há animais na Élada). Os quatro Deuses mais novos (Túndra, Áter, Lifa e Leto) são filhos dos Deuses mais velhos (Eár, Sún, Món e Kôl), que por sua vez são filhos de Éspas e Timé, Espaço e Tempo. Estes, finalmente, teriam sido criados pelo Fádos, ou o Destino, a força maior que rege todo o universo. Existe também o Lógos, ou a Razão, uma força tão antiga e misteriosa quanto o Fádos e que permite que a realidade seja transformada através do pensamento.

A Élada é habitada por Mortais (os humanos) e também por Imortais (seres muito parecidos com humanos, mas um pouco mais poderosos e que não envelhecem), além dos Monstros, crias de Leto que existem em muitas formas. Enquanto os Imortais se dividem em seis raças, cada uma criada por um Deus (Eár, Sún, Món, Kôl, Túndra e Áter), os Mortais constituem uma única raça, criada por Fáton, um Deus que é filho da Vida e da Morte, e que já não existe mais (pois, logo após criar os Mortais, Fáton se suicidou).

A história da Élada é dividida em seis Eras – a Primeira Era ou Era da Criação, na qual surgem os Deuses e o mundo; a Segunda Era ou Era de Ouro, na qual surgem as Plantas, os Monstros e os Imortais; a Terceira Era ou Era de Prata, na qual surgem os Mortais; a Quarta Era ou Era de Bronze, na qual Mortais e Imortais rompem relações; a Quinta Era ou Era Heroica, na qual os Deuses concedem o dom da Imortalidade a grandes Herois Mortais; e a Sexta Era ou Era de Ferro, que ainda está por vir e que foi profetizada pelas sacerdotisas de Delfai como a Era em que os Imortais desaparecerão e a Élada será dominada por estrangeiros.

A Era em que ocorrem as aventuras dos Herois dos jogadores é a Era Heroica, embora também seja possível narrar aventuras na Era de Bronze e na Era de Ferro.

O Sistema

Tragoedia, de forma similar a Space Dragon, usa as regras do Old Dragon para criar um jogo diferente. Em Tragoedia há três classes: Artista (classe inspirada no Clérigo do Old Dragon), Filósofo (classe inspirada tanto no Ladrão quanto no Mago do Old Dragon) e Guerreiro (classe inspirada no Homem de Armas do Old Dragon).

A habilidade de expulsar mortos-vivos do Clérigo, por exemplo, serviu de base para a Arte do Artista, habilidade que o permite inspirar, intimidar, acalmar, entusiasmar, dentre outros efeitos. Já os talentos do Ladrão serviram de base para a Filosofia do Filósofo, habilidade que o permite conhecer o que antes era desconhecido, compreender o que antes era confuso e fazer valer suas opiniões sobre as dos outros.

Enquanto o Clérigo do Old Dragon possui acesso a magia divina, o Artista é capaz de invocar Intervenções Divinas, nas quais a própria Divindade patrona do Artista age em seu auxílio.

A Divindade patrona de um Heroi determina também sua especialização, assim como, no Old Dragon, o alinhamento determina a especialização. Assim, um Artista de Món (a Lua) se torna um músico, um Filósofo de Eár (a Terra) se torna um Determinista, e um Guerreiro de Sún (o Sol) se torna um Paladino.

Enquanto o Mago do Old Dragon possui acesso a magia arcana, o Filósofo é capaz de conceber e usar Pensamentos de Lógos. Um pensamento é formado de um conceito e uma ação. A classe do conceito determina quais ações podem agir sobre aquele conceito. Por exemplo: Fogo é um conceito da classe Elemento; portanto, pode ser alvo das ações Manipular {Elemento}, Decompor {Elemento} e Compor {elemento}.

Os níveis de personagem, em Tragoedia, são divididos em patamares: Aventureiro (1-3), Heroico (4-6), Campeão (7-9), Exemplar (10-12), Épico (13-15), Lendário (16-18) e Imortal (19-20). Para alcançar o patamar seguinte, é preciso não apenas acumular XP, mas realizar um feito, uma ação grandiosa e aclamada. Para alcançar o último patamar, aquele que confere ao Heroi a imortalidade, é preciso realizar um grande feito, digno de poucos.

Uma vez que o Heroi chega ao 20º nível, ele está pronto para seu Destino Trágico. Este pode ser criado pelo jogador ou pelo Corifeu, e coloca fim à carreira – e à vida – do Heroi, concluindo sua saga.

O Livro Básico

O Livro Básico possui muito mais conteúdo que a versão fast-play de Tragoedia. Há regras para personagens (e monstros) de até 20º nível (ou 20 DVs), Intervenções Divinas de até 7ª grandeza, Pensamentos de Lógos de até 9ª categoria, regras para combate entre exércitos, e muito mais, no dobro de páginas da versão fast-play.

Os Suplementos

Além do Livro Básico, no financiamento coletivo já será possível adquirir dois suplementos para Tragoedia: O Livro do Heroi e o Livro do Corifeu.

O Livro do Heroi traz informações que auxiliarão os jogadores a criar, otimizar e interpretar seus Herois, além de mais opções, como novas excelências e novos equipamentos, além de alguns Herois prontos.

O Livro do Corifeu traz informações que auxiliarão o Corifeu a criar aventuras, competições, fortificações, ilhas, monstros e personagens, inclusive Imortais de grande poder (de até 30º nível). Organizado em tabelas, o Livro do Corifeu também pode tornar a campanha de Tragoedia mais surpreendente e imprevisível.

Um terceiro suplemento está sendo escrito, mas este provavelmente não estará disponível já no financiamento coletivo: A Era de Ferro, suplemento que aborda o futuro da Élada, com mais detalhes sobre os Estrangeiros, além de opções para os novos Herois da Era de Ferro e de informações para o Corifeu sobre o destino trágico da Élada.

O Financiamento Coletivo

O financiamento coletivo de Tragoedia ainda está em planejamento, mas podemos adiantar que estamos planejando um financiamento justo e que propicie a publicação de um livro barato, mas de qualidade. Além dos suplementos, estamos pensando em outras recompensas interessantes, como um mapa pôster, uma caixa, um bloco de fichas, etc. Contamos com suas ideias nesse momento!